sexta-feira, 13 de novembro de 2009

Ciclos: um problema ou uma solução II.

O trabalho de pesquisa realizado por Claudia de Oliveira Fernandes, cita em suas páginas fatos reais vivenciados em uma escola Municipal em Niterói, Rio de Janeiro. Além de descrever reflexões a respeito da organização da escola em ciclos e seu impacto no cotidiano escolar, que é o principal tema de sua pesquisa.
Logo a principio foi explicado que um dos motivos para ser a favor dos ciclos é o fato de que seus defensores acreditam que com esse sistema, há uma diminuição significativa de repetência, evasão e interrupção da escolaridade, problemas que já vivenciamos por muito tempo.
Vale lembrar que a autora fez uma reflexão muito importante a respeito da organização escolar que sofrerá com certeza mudanças sérias em sua nova “estrutura”. Pessoas que possuem pouco de conhecimento sobre o assunto crêem que apenas se muda o nome série por ano como se isso fosse algo insignificante, não devemos esquecer que a organização escolar vai além disso, devemos também reestruturar a lógica do currículo escolar, a organização espaço-tempo, a avaliação e o nosso trabalho.
Um outro fato lembrado por ela que é de extrema importância, na qual nós professores deveríamos refletir, é a respeito da nossa prática profissional, é através dessa prática (criatividade, responsabilidade, autonomia, maturidade, compromisso, dedicação, trabalho em equipe e etc.) que escolhemos, nos torna responsáveis pelo ritmo, ações e posturas da turma. È aquela antiga teoria da causa e efeito.
Se eu possuo todos ou alguns desses requisitos e levo o meu trabalho á sério, não há dúvidas que minha turma sentirá e retribuirá com carinho, amor e dedicação na medida em que eu fizer o mesmo.
Ao descrever a escola em detalhes, infelizmente não me causou impacto e nem surpresa. Não que eu concorde ou ache normal, mas é que esses tipos de problemas acontecem não é de hoje e as soluções não são encontradas.
Violência na escola, rotatividade de professores, professores fazendo dobra para tampar buracos daqueles que abandonaram as suas turmas, alunos que repetem na escola os mesmos erros que vêem lá fora, o tráfico sendo expandido no portão da escola chegando à sala de aula. Além da vida precária da maioria dessas crianças que estudam em uma escola pública por falta de opção, é exatamente um dos motivos pelo qual ocasionam a tal rotatividade dos professores fazendo com que esse problema seja um dos principais causadores da idéia de ciclo não ter o resultado ainda esperado, já que para isso, é necessário um trabalho em equipe.
Outra questão que nos torna descrentes desse “novo” sistema é quando tocamos em um assunto que se torna complicado porque nós mesmos o tornamos assim.
O currículo escolar, projeto político pedagógico e os programas das disciplinas possuem incoerência. Estamos em um sistema de ciclos com currículo ainda seriando, ou seja, os conteúdos continuam sendo divididos por anos de escolaridade sem continuidade e com a idéia de ciclo. Sem retermos essas crianças, elas passam pelos ciclos e na medida em que vão avançando, sem reverem esses conteúdos, consequentemente esquecerão deles ocasionando as defasagens dos mesmos e algumas competências pouco desenvolvidas.
O que causa certas dúvidas a respeito de ciclo é a questão da avaliação, já que os próprios professores possuem a idéia de que se não há reprovação, então para que avaliar? Como se uma prova fosse suficiente para medir a capacidade de alguém. Em uma frase escrita por Claudia, ela descreve exatamente o que esta acontecendo quando pensamos em ciclos X avaliação, diz assim:
...Professores entendem que não mais precisam avaliar, alunos entendem que não precisam mais estudar e pais que entendem que se seus filhos não forem reprovados então não estão aprendendo. Pág.8
Essas reflexões provocam tais confusões porque a idéia de escola seriada ainda está fortemente presente em nossa sociedade e também porque muitos professores têm o desejo de melhorar a escola, mas são poucos aqueles que tomam a responsabilidade para si.
A implementação dos ciclos parece loucura quando lembramos que não trabalhamos em condições escolares ideais e coerentes. A idéia de ciclos foi feita para uma escola modelo, sem contrastes e ou problemas tão graves e é exatamente pelo fato de que o sistema de ciclos exige mudança, é que as escolas entraram em conflito, mas é preciso que isso ocorra para repensamos em nossas formas de avaliar, entender o conhecimento, a didática utilizada, o tempo e o espaço.
È só dessa maneira, repensando e pondo em prática, é que mudaremos a situação atual e construiremos uma escola nova!

Reflexões sobre o texto:
A organização da escolaridade em ciclos: impactos na escola.

1 comentários:

GEPACT disse...

Não fez a devida reflexão...

Enviar um comentário